Futuro terá mistura de materiais, diz Audi

Marca não aposta apenas no uso de fibra de carbono para reduzir peso.

A BMW começou a produzir em série o elétrico i3 com estrutura feita apenas de fibra de carbono, material leve e resistente usado na indústria automotiva em modelos com baixo peso e alto desempenho. Mas a Audi, que apostou primeiro no alumínio na estrutura do sedã A8, acredita que o futuro aponta para uma combinação de materiais e partes diversas do carro, informa o site norte-americano Motor Authoroty. Por que? Principalmente por causa do equilibrio de custos.

É a tese que defende o chefe do departamento de engenharia da Audi AG,  Dr. Ulrich Hackenberg. Segundo ele, é importante ter como ponto inicial os aspectos ligados à resistência de materiais e de custos do veículo. O uso de aço nas colunas dianteiras, alumínio em partes baixas da estrutura e fibra de carbono, plástico ou aço laminado em outras superfícies faz parte da ideia que deverá ser seguida nos futuros lançamentos.

 A nova geração do utilitário esportivo Q7, que será lançada no ano que vem, deverá adotar o método defendido pela Audi de combinar diversos materiais em áreas diferentes do veículo. O desafio será trabalhar no tipo de soldagem que será usada para ligar perfeitamente todos os materiais usados na estrutura. Também será necessário equalizar o tempo de fabricação.

Tópicos:



Comentários