Ford Focus é o primeiro a ter motor com injeção direta de etanol

Inovação absorveu parte do investimento de US$ 200 milhões no novo carro e ajudará empresa a alcançar metas do Inovar-Auto.

O novo Ford Focus que começa a ser vendido no Brasil nos próximos meses, será o primeiro carro do mundo a ter motor com injeção direta de etanol. O anúncio foi feito na quarta-feira (28), por Rogelio Golfarb, vice-presidente da companhia, na abertura do Focus Pop-Up Gallery. O evento no pavilhão da bienal, em São Paulo (SP), é o primeiro para apresentar o carro no País. 
 
O novo propulsor Duratec 2.0 flex com quatro cilindros em linha e 16 válvulas usa sistema de injeção Bosch, mas com software da própria Ford. O motor, que equipará a versão topo de linha do carro, tem bloco, cabeçote e cárter de alumínio, e é fabricado no México, de onde é exportado para a Argentina para abastecer a linha de produção do Focus. 
 
Outra novidade do propulsor é o Easy Start, que dispensa o tanquinho de gasolina fazendo a partida a frio do modelo em temperaturas de até 10° negativos. “A energia de trabalho do bombeamento do motor é usada para esquentar o etanol. Assim, dispensamos o uso de qualquer sistema adicional”, explica Cristiano Pedreira, engenheiro do campo de provas da companhia em Tatuí (SP). 
 
A empresa aponta que o desenvolvimento do novo motor foi liderado pelo time brasileiro de engenharia, mas terá aplicação global. Pedreira garante que a novidade não nasceu a partir de uma simples adaptação, mas é “um novo desenvolvimento feito sobre base já existente.” 
 
Com a novidade, a Ford promete eficiência energética, melhor desempenho e durabilidade de mais de 240 mil quilômetros. Em medições do Inmetro divulgadas pela montadora, o veículo teve consumo de 9,6 km/l em ciclo urbano e de 12,6 km/l na estrada quando abastecido com gasolina. Com etanol, o consumo foi de 6,6 km/l e 8,6 km/l, respectivamente. A Ford enfatiza que, na comparação com a geração anterior, o motor apresenta melhoria de 20% em potência, que chega a 178 cv com etanol. Houve ainda ganho de 16% em torque. 
 
Estratégia
 
Golfarb, o vice-presidente da companhia, assegura que o desenvolvimento do novo Duratec antecede as metas de eficiência energética do Inovar-Auto. Ainda assim, o executivo admite que o propulsor foi escolha certeira. “Decidimos investir nessa tecnologia por uma visão de mercado da Ford, mas admito que o motor caiu como uma luva no novo regime automotivo e vai nos ajudar a atingir os objetivos do programa”, analisa. 
 
Segundo ele, não há por enquanto nenhuma intenção de produzir a novidade no Brasil, já que a fabricação no México é parte da estratégia global de aproveitamento das plantas. “O Brasil tem alto volume de produção para motores pequenos, por isso exportamos a partir daqui os propulsores do Fiesta”, lembra. 
 
A montadora decidiu reservar mais detalhes do modelo apenas no lançamento oficial do novo Focus, que acontece em cerca de um mês. Apesar disso, a empresa adiantou que o carro trará uma série de tecnologias e inovações inéditas para o segmento. “Esse motor mais sofisticado, por exemplo, normalmente equiparia um carro de luxo, não um modelo dessa categoria.”
 
Por Giovanna Riato/ Automotive Business



Comentários