Case: Fabricante reduz custos e prazos com ajuda de impressora 3D Stratasys

Antes de trabalhar com esta tecnologia, empresa tinha de esperar por até 70 dias úteis para ter acesso ao modelo do produto em desenvolvimento.

A Eletro Zagonel nasceu da decisão de um homem de fabricar uma ducha potente, que esquentasse bem a água e garantisse a satisfação do cliente. O engenheiro elétrico Roberto Zagonel não se conformava com a baixa qualidade e as constantes falhas apresentadas pelos produtos encontrados no mercado brasileiro no início dos anos 90. Seu profundo conhecimento técnico e de mercado o levou a desenvolver, em 1992, a ducha Master, que definiu o perfil industrial da Eletro Zagonel. De lá para cá, a empresa tornou-se uma das líderes nacionais na indústria eletroeletrônica. A Eletro Zagonel está instalada em Pinhalzinho, Santa Catarina.
 
Determinado a dinamizar as áreas de desenvolvimento de novos produtos, de modo a encurtar os prazos e os custos e aumentar ainda mais a qualidade do produto final, o empresário adquiriu uma impressora 3D Objet30 Desktop que utiliza os materias P2 VeroWhite Plus 835 e P2 Full Cure. “Consegui reduzir de meses para poucas horas o tempo levado para produzir protótipos funcionais dos produtos”, observa Roberto Zagonel, presidente da Eletro Zagonel. A ducha Master, construída ainda na prancheta, levou dois anos para se transformar em protótipo. Os produtos mais recentes exigiam cerca de dois meses para avançar da fase de projeto para a solidez do protótipo. Para o executivo, além da redução de prazos, a tecnologia Stratasys trouxe para a empresa um claro ganho na qualidade do produto. “Passamos a construir vários protótipos, dando corpo a diferentes ideias de produto e diferentes engenharias; isso deu asas aos nossos projetistas, que puderam ser ainda mais criativos e inventivos nos novos produtos em desenvolvimento”. 
 
Protótipo de ducha é recheado de componentes elétricos  
 
A entrada em cena da Objet30 Desktop trouxe ganhos concretos no design dos produtos Eletro Zagonel. “Passamos a gerar protótipos verdadeiramente funcionais, externa e internamente; com o protótipo de resina na mão, recheamos as cavidades da peça com componentes elétricos e, a partir daí, conseguimos realizar testes reais, de uso do produto”, detalha Zagonel. “Uma das últimas duchas desenvolvidas contou com um protótipo tão perfeito que eu mesmo o testei na minha casa, tomando banho por vários dias em um chuveiro que, na verdade, era um protótipo”. 
 
Uma das maiores conquistas com a tecnologia de impressão 3D foi a redução de custos na matrizaria. “Percebi que não adiantava economizar na prototipação e depois gastar demais na matriz”, ensina. “Os custos de matrizaria de um novo produto podem variar de 400 mil a 1,5 milhão de reais; sem a tecnologia de prototipagem 3D, acabávamos tendo de recriar as matrizes até chegar ao produto com as características desejadas. A Objet30 Desktop nos ajuda a consolidar o produto ainda na fase de protótipo, de modo a não errar no chão de fábrica e ter de construir novas e caras matrizes”.
 
Até se atingir resultados como estes, porém, o executivo trabalhou com outras formas de prototipagem. O primeiro modelo da empresa, a ducha Master, contou com um protótipo criado em um torno mecânico. Nos últimos anos, a Eletro Zagonel saltou para o mundo do CAD 3D com ajuda do SolidWorks 2010. “A partir de 2009 passamos a trabalhar com este software; no princípio, contávamos com os serviços terceirizados de uma empresa especializada em projetos de CAD 3D localizada em Joinville, Santa Catarina”, detalha Zagonel. A necessidade de manter a inteligência e a agilidade do projeto dentro de casa, no entanto, o acabou levando a montar todo um setor em que engenheiros e projetistas utilizam a solução em computadores rodando dentro da empresa. 
 
Do protótipo em argila aos serviços terceirizados na China
 
Quando os novos produtos da Eletro Zagonel passaram a ser criados no ambiente SolidWorks, o resultado final passou a ser um arquivo de CAD 3D. Preocupado em ganhar rapidez e qualidade no processo de prototipagem, Zagonel buscou várias soluções antes de aderir à Objet30 Desktop. “Durante algum tempo, contratamos o protótipo junto a essa empresa especializada em CAD 3D, mas eles geravam o protótipo num material semelhante à argila (Clay 3D printing systems), com menos precisão e menos resistência do que necessitávamos para os testes de produto”. A fragilidade deste tipo de protótipo era tal que o empresário enviava seus próprios profissionais, de carro, para ir buscar o material, de modo a impedir que ele quebrasse na viagem.
 
Zagonel tentou, então, internacionalizar o processo. Durante boa parte do ano de 2010, o arquivo em CAD 3D de cada novo projeto era enviado à China; no birô de serviços de prototipagem, este arquivo se transformava em um protótipo funcional em 3D.
 
Dois fatores rapidamente levaram Zagonel a desistir deste modelo de trabalho. “Os prazos de entrega do protótipo gerado na China eram muito longos – era comum termos de esperar entre 45 e 70 dias úteis para receber o modelo de volta, em Santa Catarina”. Além da demora, o uso da empresa chinesa como parceira da Eletro Zagonel trazia outro problema: a falta de confidencialidade. “Esse prestador de serviços chinês tinha acesso total ao nosso projeto e de alguma forma, um de nossos projetos vazou e o produto que criamos foi fabricado primeiro, de forma desleal, por um concorrente”.
 
Internalização dos processos de engenharia e prototipagem
 
Diante desta realidade, Zagonel decidiu internalizar totalmente o processo de desenvolvimento de novos produtos, da engenharia à prototipagem. Essa decisão envolvia a compra de uma impressora 3D. “As impressoras Stratasys se destacam por produzir com rapidez protótipos funcionais e resistentes, exatamente o que estávamos buscando”, diz o presidente da empresa. A decisão pela Objet30 Desktop passou por análises técnicas e de custos. “Para ter uma ideia clara do custo total desta aquisição, fizemos um planejamento que incluía o valor da máquina, o valor mensal e anual que investiríamos nos materiais que geram o protótipo e, finalmente, quanto gastaríamos para criar o ambiente climatizado que a Objet30 Desktop exige”. Como a empresa já contava com um departamento de engenharia e projetos totalmente climatizado para receber os computadores Intel de alta performance que rodam o software de CAD 3D, optou-se por instalar a impressora neste espaço.
 
Hoje, a impressora Objet30 Desktop é uma vitrine da inteligência de projeto da Eletro Zagonel. “Todos estão apaixonados por esta máquina”, brinca Zagonel. “Eu e os engenheiros projetistas, em especial, nos encantamos com o fato de que podemos desenvolver uma nova ducha num dia e ir para casa; no dia seguinte, de manhã, encontraremos dentro da impressora 3D o protótipo desse novo produto com a aparência e a funcionalidade que estávamos buscando”.  Como todo criador, Zagonel quer tocar, ver e interagir com sua criação. “Para nós, desenvolvedores de projetos, cada novo produto Eletro Zagonel é um filho; graças à Objet30 Desktop, agora ele nasce mais rápido”.
 



Comentários