PTC anuncia resultados do terceiro trimestre

A PTC anuncia resultados do terceiro trimestre.

A  PTC, especializada em softwares para indústrias, registrou um faturamento de US$ 316 milhões no terceiro trimestre de seu ano fiscal, encerrado em 29 de junho de 2013, sendo que a contribuição da Servigistics (empresa especializada em soluções para gerenciamento dos serviços – SLM - adquirida em outubro de 2012) foi de US$ 23 milhões. De acordo com James Heppelmann, presidente e CEO da PTC, a companhia apresentou resultados operacionais sólidos neste  trimestre, somando US$ 80 milhões em licenças. A venda das soluções da Servigistics também apresentaram ótimo desempenho, correspondendo às expectativas.
 
Em termos globais, os melhores resultados foram obtidos nas Américas e no Japão, enquanto houve menor desempenho na Europa e na região do Pacífico,  refletindo o ambiente macrodesafiador que ainda persiste naqueles países. "Enquanto estávamos analisando nossa previsão de receita no curto prazo, observamos que o mercado mostrou grande interesse em nossas soluções SLM. No entanto, a crise econômica europeia continuou pesando sobre nosso desempenho, inibindo a concretização de grandes negócios”, destaca Heppelmann. Apesar disso, no Q3 a PTC fechou 33 grandes negócios (em licenças e em receita de serviços de mais de US$ 1 milhão), com organizações líderes em seus segmentos, como a Dell, Elliott Group, Embraer, Fujitsu Ten Limited, Raytheon, Renault, Steelcase, Taiwan Greenpoint, Unisys, Marinha dos Estados Unidos, e Vita-Mix. “Assim como ocorreu nos últimos trimestres, o mix de receita foi mais fortemente direcionado para serviços", completa o executivo.
 
Na avaliação de Jeff Glidden, executivo de Finanças da PTC, do ponto de vista da rentabilidade, foi registrado mais um trimestre sólido, com uma margem operacional de 22,2%. “Encerramos o Q3 com US$ 257 mil em caixa, superando o obtido no segundo trimestre do ano, que totalizou US$ 241 mil, refletindo, em parte, US$ 40 milhões dólares usados ​​para pagar a nossa linha de crédito rotativo, US$ 20 milhões para a recompra de ações e US$ 85 milhões em fluxo de caixa operacional”, salienta Glidden.
 
Para o Q4, que se encerra em 30 de setembro, a estimativa é de alcançar receita de US$ 330 a US$ 340 milhões no período, dos quais US$ 105 milhões deverão ser provenientes da venda de licenças e US$ 70 milhões, de serviços. Para o ano inteiro de 2013 é esperada receita da ordem de US$ 1,28 bilhão. “Será um resultado menor do que o projetado inicialmente, em virtude da situação macroeconômica global”, justifica Glidden.   
Tópicos:
  



Comentários