Astronautas conhecem interior de cápsula com sistema de LED e tablet

Nave CST-100 será destinada a futuras missões comerciais ao espaço. Por fora, veículo lembra era Apollo, mas contém tecnologia avançada.

Dois astronautas da agência espacial americana (Nasa) conheceram pela primeira vez o interior de uma cápsula fabricada pela Boeing para futuras missões comerciais.
 
Serena Aunon e Randy Bresnik entraram na CST-100 com macacões especiais de voo na segunda-feira (22) e testaram sua capacidade de manobra dentro da cápsula. Enquanto isso, os engenheiros da Boeing monitoraram o sistema de comunicação, a ergonomia e os equipamentos da nave.
 
O veículo foi pensado para abrigar cinco astronautas, mas é capaz de acomodar até sete pessoas ou uma mistura de tripulação e carga.
 
Vista de fora, a cápsula lembra as antigas naves da era Apollo, mas por dentro exibe uma tecnologia supermoderna, com iluminação de LED e sistema de tablet. Além disso, a cápsula não tem soldas e apresenta uma proteção térmica bastante avançada.
 
A Boeing é uma das três empresas americanas que trabalham no Programa de Tripulação Comercial da Nasa, com o objetivo de desenvolver sistemas de transporte de tripulação seguros, confiáveis e de baixo custo para clientes governamentais e comerciais.
 
"O que você não vai encontrar é 1.100 ou 1.600 interruptores", disse Chris Ferguson, diretor de operações de missão e tripulação da Boeing e ex-astronauta da Nasa.
 
"Quando esses caras sobem na nave espacial, a principal missão não é voar nela, mas ir até a estação espacial por seis meses. Então, não queremos sobrecarregá-los com uma enorme quantidade de treinamento para pilotar o veículo. Queremos que ele seja intuitivo", destacou.
 
Tópicos:



Comentários