Dólar bate recorde

Dólar bate recorde

Usado para compor o rol, o Valor Efetivo Total (VET) sintetiza a taxa de câmbio mais o tributo e as tarifas cobradas pelos bancos e pelas casas de câmbio. Para o euro, a autoridade monetária constatou preços de R$ 2,71 (Advanced corretora) a R$ 3,88 (Banco do Brasil), uma variação de 43,1%. O peso argentino variou de R$ 0,32 (OM distrituibora de títulos) a R$ 0,49 (Distri-cash distrituibora de títulos).
 
O sistema pode ser acessado no site do BC (www.bcb.gov.br). Basta informar se a operação será de compra ou de venda, a moeda pesquisada, a forma (espécie ou cartão pré-pago) e a quantia pretendida. A criação do VET foi aprovada pela Resolução nº 4.021/2011, do Conselho Monetário Nacional. A partir de 2012, o BC obrigou os agentes cambiais a divulgar o Valor Efetivo Total.
 
Nova intervenção
 
Testado pelo mercado, o Banco Central interveio de novo na cotação do dólar. Com a venda de leilões de swap cambial tradicional, a autoridade monetária brasileira transpareceu que não quer o dólar distante de R$ 2,15. A valorização de 0,84% em relação ao real levou a uma alta acumulada de 1,11% no mês e de 5,94% no ano.
 
Antes de o BC injetar US$ 1,957 bilhão no mercado por meio de contratos equivalentes a venda de dólar no mercado futuro — representando 97,75% do total ofertado —, a moeda americana chegou a ser negociada a R$ 2,178. A disparada da divisa norte-americana já preocupa em relação ao repasse para a inflação. Os contratos futuros de juros voltaram a subir nesta segunda-feira (17).
Tópicos:



Comentários