Emprego industrial recua em São Paulo

Emprego industrial recua em São Paulo.

O diretor adjunto do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fie.sp), Walter Sacca, afirmou nesta quinta-feira (13) que o nível de emprego da indústria paulista "não apresenta um quadro saudável". "O número de maio só foi melhor que o de maio de 2009, ano historicamente mim para o emprego por conta do reflexo da crise", afirmou.
 
Nesta quinta-feira, a Fiesp divulgou que o nível de emprego da indústria paulista caiu 0,37% em maio ante abril, com ajuste sazonal. Em 2009, a queda na geração de empregos no mês de maio foi de 0,57%, Segundo Sacca, mesmo com o resultado de maio, a entidade mantém as expectativas de crescimento de 1% no emprego, com a criação de cerca de 30 mil vagas em 2013.
 
Sacca destacou que o comportamento do setor de açúcar e álcool, que em maio respondeu por participação de 62,2% (2.176 postos) na criação de vagas, já era esperado por conta do início da safra. Ele ressaltou, porém, que o peso do setor na geração de empregos historicamente tem se reduzido por conta da automação da colheita.
 
"Em 2007, no acumulado do ano até maio, 65% vinha do açúcar e álcool Já neste ano o porcentual chega a 21,1%", disse. "O setor continua sendo o mais influente, mas com um peso que diminui com o tempo." Segundo Sacca, como o processo de finalização de automação no campo já está próximo de ser concluído em São Paulo, essa influência caminha para uma estabilidade.
 
Sacca disse que, a expansão da indústria, mesmo lenta, não está sendo acompanhada pelo aumento da produtividade. "A recuperação da indústria, no sentido de voltar a ser competitiva, passa por acerto cambial, juros, mas, principalmente, pelo aumento de produtividade." 
 
Por Carla Araújo/ O Estado de S. Paulo
Tópicos:



Comentários