GM estuda implantar uma nova linha de produção em São José (SP)

Implantação da linha vai exigir investimento de R$ 2,5 bilhões na planta.

A General Motors anunciou no fim da tarde da última sexta-feira (26) a possibilidade de implantar uma nova linha de produção na planta de São José dos Campos, no interior de São Paulo. Segundo a empresa, a disputa envolve outros dois países e depende ainda de uma negociação com Estado, prefeitura e sindicato dos metalúrgicos. A negociação segue até o fim de maio.

O anúncio ocorre um mês após a demissão de 598 funcionários, como desfecho de um período de negociação e tensão sobre o futuro da planta na cidade. O volume de produção, modelo do veículo e o número de empregos que serão gerados pela nova linha não foram informados. A implantação da linha vai exigir  um investimento de R$ 2,5 bilhões na planta.
 
Segundo a fabricante, a nova linha seria uma requalificação da planta local. “Esse investimento é uma oportunidade da GM ter uma planta mais moderna e é vital para a sobrevivência da planta em São José dos Campos”, afirmou o diretor de relações institucionais da montadora, Luiz Moan.
 
Ele destacou que a unidade de São José tem competitividade para atrair o investimento pela localização privilegiada. "Essa planta tem muita chance, sobretudo pela melhor localização estratégica e logística. Ainda assim, ela não é a mais competitiva no país", disse Moan. Outros dois países, não revelados, estão na disputa pelo investimento.
 
Segundo ele, um dos itens importantes para aumentar a competitividade da planta local é a negociação dos salários e benefícios dos trabalhadores com o sindicato. O presidente do sindicato dos metalúrgicos, Antônio Ferreira de Barros, afirmou que já houve uma grande flexibilização envolvendo o salário dos operários durante as negociações do layoff.
 
"Houve avanço com a redução da grade salarial, em troca cobramos empenho para a atração de novos investimentos. Mas precisamos ainda começar a negociar para que haja um posicionamento", disse. O acordo com a montadora reduziu o piso salarial para novos trabalhadores de R$ 3.100 para R$ 1.800 e a possibilidade de criar um banco de horas de acordo com a demanda do mercado.
 
MVA
 
Segundo Moan, está mantida a decisão de continuar a produção do Classic no Montagem de Veículos Automotores (MVA) até dezembro. Depois deste período, o destino dos trabalhdores do setor dependem da atração de novos investimentos.



Comentários