Impressoras 3D custarão menos de US$ 2 mil em três anos

Disponibilidade poderá fomentar negócios e agilizar processos industriais.

As impressoras 3D custarão menos US$ 2 mil dentro de três anos, estima a consultoria especializada em tecnologia Gartner. Vendidos por este preço, os aparelhos capazes de imprimir objetos custarão tanto quanto alguns computadores, avalia a entidade.

Com custos mais acessíveis, o dispositivo estará mais próximo de consumidores finais, criando novas oportunidades de comércio e de negócio, como quiosques especializados em impressão 3D e serviços de customização de impressão. As informações constam no relatório “Como a Impressão 3D Rompe Negócios e Cria Novas Oportunidades”, divulgado pela consultoria no fim de março.
 
Para o diretor de pesquisa da Gartner, Pete Basiliere, o aparelho tem potencial para ir parar, literalmente, no espaço. “Desde a descrição de excitantes utilidades médicas e outras ideias industriais futurísticas - como usar impressoras 3D em asteroides e na Lua para criar partes de naves espaciais e partes de bases lunares -, essa onda do momento leva muitas pessoas a pensar que a tecnologia está a alguns anos distante quando está ao alcance agora e acessível à maioria das empresas”.
 
Segundo a Gartner, embora disponíveis a empresas de todos os tamanhos, as impressoras 3D ainda custam o bastante a ponto de ser um investimento considerável a ser feito. No entanto, em 2016, custarão abaixo dos US$ 2 mil, o que implicará em mínimo risco de capital ou tempo perdidos. Poderá, inclusive, acelerar o processo de desing e avaliação de produtos.
 
Tópicos:



Comentários