Por crédito do BNDES, GE eleva o conteúdo local de nova locomotiva

Até 2015, participação de conteúdo local na nova locomotiva da empresa chegará a 60%

 

De olho na expansão do setor ferroviário, a GE Transportation fechou acordo com o BNDES para elevar para 60%, até 2015, a participação do conteúdo nacional da nova locomotiva da empresa.
 
A nova máquina, chamada de Dash 9, começou a ser produzida em Contagem (Minas Gerais) em dezembro, com um índice de conteúdo nacional inferior a 40%.
 
Esse é o segundo projeto de aumento do conteúdo nacional de locomotivas para o transporte de carga negociado entre a GE e o banco brasileiro de fomento.
 
De acordo com Lorenzo Simonelli, presidente da GE Transportation, a empresa acaba de alcançar o índice de nacionalização da locomotiva AC 4400 negociado com o BNDES em 2008. O conteúdo nacional será de 63%.
 
O Plano de Nacionalização Progressiva do BNDES garante aos compradores do equipamento que faz parte do programa acesso às linhas de crédito subsidiadas. As condições de financiamento são atrativas e incluem prazo de dez anos para pagamento e taxa de juros de 4,5% ao ano.
 
O investimento total para adequação da unidade de Contagem até agora foi de R$ 39 milhões. A fábrica ampliou o número de funcionários de 210 para 550.
 
Ambicioso
Simonelli classifica o plano brasileiro de expansão de ferrovias como "muito ambicioso". O governo federal anunciou um pacote para a construção de 10 mil quilômetros de ferrovias. "Isso nos dá muitas oportunidades."
 
A GE estima que em 2023 o Brasil vá ter uma malha ferroviária com 48,7 mil quilômetros de extensão, mais de 20 mil quilômetros além da atual. A previsão é que a demanda por locomotivas também supere as cem unidades compradas hoje ao ano.
 
Além da GE, a Caterpillar produz locomotivas no país.
 
Por Agnaldo Brito/ Folha de S. Paulo



Comentários