Brasil inicia novo ano de acordo automotivo renegociado com México

Aumento no valor total da cota de comércio de veículos foi de 8%

 

O governo publicou no Diário Oficial da União desta quarta-feira (13) os termos do segundo ano do acordo automotivo renegociado com o México em 2012, com aumento de cerca de 8% no valor total da cota de comércio de veículos entre os dois países.
 
Segundo portaria número 11 da Secretaria de Comércio Exterior, a cota de US$ 1,45 bilhão de 2012 foi ampliada para US$ 1,56 bilhão entre 19 de março deste ano e 18 de março de 2014.
 
Pelo acordo acertado em março do ano passado, depois que o Brasil acusou um déficit no comércio bilateral e ameaçou abandonar o pacto que por muito tempo lhe favoreceu, a cota será elevada para US$ 1,64 bilhão em 2014.
 
A cota de 2012 foi esgotada antes do fim do ano, em meio ao forte crescimento do mercado brasileiro, que bateu recorde de vendas de veículos no ano passado.
 
O esgotamento da cota do ano passado antes do previsto afetou algumas montadoras que dependem mais fortemente de importações do México, como a Nissan, que está trazendo modelos compactos produzidos no México enquanto constrói sua fábrica própria no Brasil.
 
Em setembro, uma fonte do governo mexicano havia informado à Reuters que o Brasil tinha interesse em elevar a cota em cerca de US$ 350 milhões.
 
Pela portaria publicada nesta quarta-feira, as montadoras com as maiores cotas de exportações para o México dentro do acordo são Volkswagen, Renault, Honda, Ford e General Motors.



Comentários