Modos de Deformação

A figura abaixo ilustra os possíveis modos de deformação no teste de compressão, a saber:

  1. Flambagem, quando L/D > 5
  2. Cisalhamento, quando L/D > 2.5
  3. Barril duplo, quando L/D > 2.0
  4. Barril , quando L/D > 2.0 e há fricção nas superfícies de contato
  5. Compressão homogênea, quando L/D < 2.0 e não existe fricção nas superfícies de contato
  6. Instabilidade compressiva devido ao amolecimento do material por efeito de carga.

Em geral procura-se um modo de deformação próximo ao ideal, ou seja, sem fricção. Porém, na prática, o atrito sempre estará presente. Neste caso a ocorrência do efeito barril deve ser esperada para materiais dúcteis.

A flambagem, o cisalhamento e a instabilidade devem ser evitados.

Na verdade os fatores atrito e relação L/D atuam conjuntamente, tanto no modo como nos valores da deformação. A figura abaixo ilustra a influência conjunta dos fatores citados no ensaio de compressão. Pode-se ver a curva correspondente à compressão sem fricção (compressão homogênea) e com níveis crescentes de fricção e redução da relação L/D.


Variação das deformações com o atrito e a relação L/D

Ademais o ensaio é influenciado por outros fatores como a taxa de deformação, especialmente quando se deseja estabelecer propriedades do material em altas temperaturas.