Corrosão sob Tensão

A propagação de trincas resultantes da ação combinada de tensões mecânicas e reações de corrosão é lenta. Em geral aços de baixa resistência desenvolvem este mecanismo quando expostos a um tipo bem determinado de ambientes como soluções cáusticas quentes presentes em caldeiras, soluções de nitratos, amônia anídrica e soluções de carbonatos-bicarbonatos.

Para aços com tensões limite de escoamento acima de 690 MPa (como aços temperados e revenidos) os ambientes que causam trincas não são específicos. Para muitas ligas os fenômenos de corrosão sob tensão e de fragilização por hidrogênio não podem ser distinguidos. Este é o caso de ambientes que contem sulfetos ou outros compostos que permitam a fragilização por hidrogênio.

Os ambientes que devem receber maior atenção são as água da natureza como água da chuva, água do mar e umidade atmosférica. Qualquer um dos ambientes citados pode ser contaminado, aumentando os efeitos de ataque. A contaminação com com gás sulfídrico é a mais perigosa. Para água salgada com alta concentração de gás sulfídrico, o nível máximo de tensão de escoamento do aço é limitado em 620 MPa para evitar a falha.


Continua depois da publicidade


As maneiras mais efetivas de prevenir as trincas oriundas da tensão gerada pela corrosão são:

  • projetar usando materiais adequados
  • reduzir as tensões nos componentes
  • remover os elementos ambientais críticos como hidróxidos, compostos de cloro e oxigênio
  • evitar áreas de estagnação ou fendas onde os hidróxidos e cloro possam se tornar concentrados.

Abaixo aspecto de uma das barras de sustentação (que operava sob tração) do telhado da piscina em Zurich (Suiça) que desabou em 1985.


Aspecto da fratura provocada por corrosão sob tensão
Tópicos: