Inicialmente, "cerâmica" era o nome atribuido a ferramentas de óxido de alumínio. Na tentativa de diminuir a fragilidade destas ferramentas, os insertos passaram por considerável desenvolvimento e, hoje, são bastante diferentes daqueles originais.

Insertos / pastilhas de cerâmica

Atualmente, encontramos dois tipos básicos de cerâmica:

Característica

  • Alta dureza à quente (1600oC)
  • Não reage quimicamente com o aço;
  • Longa vida da ferramenta;
  • Usado com alta velocidade de corte;
  • Não forma gume postiço.

Característica da cerâmica não metálica em relação ao aço

  • 1/3 da densidade do aço;
  • alta resistência a compressão;
  • muito quebradiço;
  • módulo de elasticidade em torno de 2 vezes o do aço;
  • baixa condutividade térmica;
  • velocidade de 4 à 5 vezes à do metal duro;
  • baixa deformação plástica;

Continua depois da publicidade


Aplicação

Aplicação dos insertos de cerâmica

  • Ferro Fundido;
  • Aço endurecido; (hard steels)
  • Ligas resistentes ao calor. (Heat resistant alloys)

Fabricação

Fabricação dos insertos de cerâmica

O pó finíssimo de Al2O3 (partículas compreendidas entre 1 e 10 mícrons) mais ZrO2 (confere tenacidade a ferramenta de corte) é prensado, porém apresenta-se muito poroso. Para eliminar os poros, o material é sinterizado a uma tempertura de 1700o C ou mais. Durante a sinterização as peças experimentam uma contração progressiva, fechando os canais e diminuindo a porosidade.

Exigência

  • Máquina Ferramenta com extrema rigidez e potência disponível

Recomendações

  • Usinagem a seco para evitar choque térmico;
  • Evitar cortes interrompidos;
  • Materiais que não devem ser usinados:
    • Alumínio, pois reage quimicamente
    • Ligas de titânio e materiais resistentes ao calor, pela tendência de reagir químicamente, devido a altas temperaturas envolvidas durante o corte;
    • Magnésio, berílio e zircônio, por inflamarem na temperatura de trabalho da cerâmica.