Elevada dureza a frio e a quente.

Trata-se da resistência do material à penetração, ao desgaste, e ao atrito.

Esta propriedade é usuamente medida em ensaios de dureza, com o auxílio de um penetrador que, por sua vez, trata-se de uma ferramenta padronizada, com forma de esfera, ou de pirâmide, sobre a qual é aplicada uma carga, também padronizada.

Elevada dureza a frio e a quente
Sob a mesma carga, a ferramenta de ensaio penetra mais profundamente no material menos duro

A dureza da ferramenta de corte deve ser muito maior que a do material a ser usinado, mas não tão alta a ponto de tornar a ferramenta quebradiça (frágil).

Tenacidade 

É a capacidade que o material tem de absorver energia (deformar-se) antes de fraturar, considerando tanto a deformação elástica quanto a plástica.

Tenacidade: material dútil e material frágil


Continua depois da publicidade


O material da ferramenta de corte deve ter tenacidade suficiente para resistir aos choques/impactos que ocorrem durante a usinagem, evitando o surgimento de trincas e lascamentos na ferramenta.

Resistência ao desgaste por abrasão 

Durante o corte, a região de contato entre a peça, a ferramenta e o cavaco fica sujeita à pressões muito altas e partículas muito duras. Devido ao movimento relativo entre os componentes do corte (peça-ferramenta-cavaco), estas partículas podem penetrar na superfície do material da ferramenta e, conforme o processo de corte avança, o eventual arrancamento destas partículas gera desgaste na ferramenta. A resistência ao desgaste por abrasão influencia a durabilidade da ferramenta neste quesito

 

 

Estabilidade química 

Na usinagem, a ferramenta e a peça apresentam composições químicas diferentes e estão submetidas a temperaturas elevadas, originando uma condição favorável para o surgimento de reações químicas. Estas reações caracterizam-se pela troca de elementos químicos da peça para ferramenta e vice-versa, levando ao desgaste e perda das propriedades da ferramenta.

Estabilidade química: Matriz de cobalto


Custo e facilidade de obtenção. 

Existem materiais para ferramenta que são fáceis de fabricar e apresentam baixo custo de produção. No entanto, não oferecem todas as propriedades desejadas e, por isso, tem seu uso limitado, a exemplo do aço ferramenta.
Por outro lado, tem-se à disposição materiais com propriedades excelentes, embora com custo elevado.
O balanço qualidade-custo, portanto, deverá ser adequado às necessidades específicas de cada processo.