por Daniel Strandell    |   04/02/2022

Capacitação em engenharia no pós-pandemia

Saiba como a Sandvik Coromant está ajudando a melhorar o setor.

A Sandvik Coromant tem uma presença global dos Centros Sandvik Coromant localizados em todo o mundo, que se dedicam a treinar os clientes nas principais habilidades metalúrgicas e mostrar as mais modernas tecnologias de usinagem da organização. Nos centros, os clientes podem participar de palestras, apresentações e demonstrações em ambiente de produção que mostram os produtos e técnicas de usinagem da Sandvik Coromant. A empresa foi a primeira do setor de ferramentas de corte a introduzir centros de aplicação e, atualmente, existem os Centros Sandvik Coromant localizados em toda a Europa, Américas e Ásia.

No entanto, durante a pandemia, as restrições da COVID-19 forçaram muitas fábricas a fechar as portas para o público em geral e as visitas ao local foram interrompidas. Como consequência, engenheiros de todo o setor perderam mais de 18 meses de treinamento e capacitação vitais. Então, como eliminar essa defasagem?

Ficar online

A falta de habilidades é uma preocupação há muitos anos, mas para muitas empresas industriais, a pandemia aumentou sua prevalência. Na verdade, 58% dos entrevistados de uma recente pesquisa da McKinsey disseram que eliminar a defasagem de mão de obra especializada na força de trabalho de suas empresas se tornou uma prioridade ainda maior após a pandemia.

Instalações como os Centros Sandvik Coromant são cruciais para proporcionar aos engenheiros um treinamento prático profundo que as empresas podem usar em suas próprias operações. Entretanto, enquanto os centros permaneceram fechados para visitantes, a Sandvik Coromant continuou apoiando seus clientes o máximo possível. A única maneira de permanecer em contato era através da Internet e a empresa fazia isso por meio de séries de webinars, sessões de treinamento específicas de produtos e demonstrações ao vivo de produtos transmitidas por videoconferência.


Continua depois da publicidade


Por exemplo, as sessões virtuais incluíam uma série de sessões de conhecimento de ferramentas sólidas rotativas que começaram em janeiro de 2021. As sessões on-line cobrem áreas críticas do corte de metais, desde furação e fresamento, até áreas mais específicas como usinagem de alumínio para peças automotivas e usinagem de materiais compostos, tudo com o objetivo de fornecer conhecimento de aplicação essencial para aqueles que não têm capacidade de treinamento interno.

É evidente que as empresas estão levando a defasagem de habilidades mais a sério do que nunca. Muitas começaram a investir em treinamento de algum tipo, com reciclagem e requalificação no topo da agenda. Entretanto, pode-se alcançar muito pouco no mundo virtual. As empresas, especialmente de manufatura, precisam reunir as pessoas a fim de melhorar suas habilidades. E elas não deveriam estar se concentrando apenas em sua força de trabalho atual.

Eliminando a defasagem

A Sandvik Coromant tem trabalhado com muitos clientes que explicam que a falta de habilidades é uma das principais razões para querer investir em treinamento. Outras pesquisas da Search Consultancy sobre a defasagem de habilidades constataram que 40% dos participantes acreditam que a falta de candidatos qualificados é o principal fator contribuinte para a falta de mão de obra qualificada.

Embora investir nas habilidades da força de trabalho existente seja vital, o setor também deve levar em consideração a próxima geração de engenheiros. Um relatório de 2020 da EngineeringUK descobriu que quase 50% dos jovens de onze a 19 anos sabem "pouco" ou "quase nada" sobre o que engenheiros fazem. Além disso, a pandemia também causou impacto quando as pessoas iniciam suas carreiras, pois a BAE Systems constatou que mais de 40% dos jovens entre 16 e 24 anos pesquisados no Reino Unido estão interrompendo seus planos de carreira até que a pandemia termine.

Para apoiar os futuros engenheiros, a Sandvik Coromant trabalha ativamente com escolas e universidades para treinar os estudantes sobre as principais tecnologias de corte de metais. Por exemplo, a empresa trabalhou com o Instituto Politécnico Rensselaer para produzir peças para carros de corrida para uma competição estudantil. Como parte da colaboração, a Sandvik Coromant aconselhou a sobre as escolhas adequadas de ferramentas para as peças de alumínio aeroespacial do carros de corrida, bem como sobre técnicas adequadas de usinagem e conselhos gerais para remoção de material. A Sandvik Coromant também oferece vários programas de capacitação em que os estudantes podem trabalhar na organização por duas semanas, ou por seis meses, após concluírem os estudos.

Embora os recursos on-line proporcionem uma solução temporária suficiente, instalações como os Centros Sandvik Coromant mergulham os visitantes em um ambiente de produção da vida real, fornecendo um método de treinamento extremamente valorizado. Analisando como os últimos 18 meses afetaram as habilidades de engenharia fica claro que a defasagem delas foi ampliada. Olhando para o futuro, oferecer uma mistura de treinamento virtual e presencial a engenheiros em início de carreira e a engenheiros estabelecidos, será fundamental para a criação de uma força de trabalho qualificada.

O conteúdo e a opinião expressa neste artigo não representam a opinião do Grupo CIMM e são de responsabilidade do autor.

Daniel Strandell

Gerente Global dos Centros Sandvik Coromant.


Comentários