06/06/2018

Incêndios em esteiras transportadoras: Um risco à mineração

Incêndios em esteiras transportadoras são mais frequentes do que se imagina. O texto traz os perigos e dicas de prevenção.

Entenda e veja como evitar um grande perigo da mineração.

A falta de manutenção adequada em esteiras transportadoras pode causar acidentes capazes de comprometer toda a cadeia de extração de minério. Isso ocorre por diferentes motivos, podendo levar desde a paralisação de atividades para adequação a normas de segurança, até explosões e incêndios que colocam em risco a integridade estrutural e do pessoal da mina. Podem haver mortes e danos irreparáveis aos negócios, ferindo a imagem da mineradora. Este texto abordará algumas causas desses acidentes e ações para evitá-los. Além disso, como utilizar as manutenções preventiva e preditiva para obter mais segurança a um custo reduzido.

ESTEIRAS TRANSPORTADORAS: ELEMENTO ESSENCIAL NA EXTRAÇÃO DE MINÉRIO
As esteiras transportadoras são utilizadas em diversos setores industriais para otimizar o transporte de materiais. São estruturas que podem ter vários quilômetros de extensão e percorrer desde o subsolo até extensões terrestres de proteção ambiental, ou ainda, de difícil acesso.


Continua depois da publicidade


Na substitiuição do transporte rodoviário pelo transporte por esteira, suprime-se o consumo de combustível e gera-se redução de emissões de poluentes. Sendo o principal meio de transporte do minério desde o local de extração até a usina de beneficiamento, seu funcionamento adequado é vital para a cadeia produtiva. Dada o a sua importância é necessária atenção constante à suscetibilidade desse equipamento às intempéries da natureza e ao uso contínuo.

PERIGOS
Diversas falhas podem ocorrer em esteiras transportadoras. Um estudo apresentado na Exposição de Seguros de Engenharia da Indústria da Mineração, em 2009, na Turquia, afirmou que “[esteiras transportadoras] têm importante papel na indústria da mineração.  [Consequentemente] elas são partes sujeitas a condições árduas de trabalho e desgaste contínuo”. Devido ao estresse aos quais esses maquinários são submetidos, é essencial realizar manutenções constantes para evitar incidentes inesperados.

Dentre os problemas mais graves — e mais frequentes do que aparentam — estão os incêndios. Estes são causados por falhas de um ou mais componentes da esteira e há diversos cenários propícios na mineração.

As esteiras em minas tendem a ter superfícies de lona, borracha, termoplásticos ou tecidos sintéticos. São materiais que aquecem com uso contínuo devido à fricção, podendo gerar combustão quando expostos à fontes de calor inesperadas. Em casos raros, mesmo breves fagulhas ou descargas elétricas podem gerar acidentes quando, por exemplo, entram em contato com minérios de alta condutividade elétrica, como prata ou cobre, transportados na esteira.

Sem a devida manutenção preventiva e preditiva, gerenciamento de risco e atenção às normas de segurança, problemas que, em outros cenários, seriam considerados de menor gravidade podem causar explosões e incêndios. Investigações feitas por seguradoras comprovam que a maioria dos acidentes ocorrem devido à fricção entre os roletes de carga da esteira e o material transportado por ela. Este atrito gera um aquecimento que, se não detectado, pode evoluir para um estágio de combustão em contato com outros componentes.

Considerando as especificidades de cada mina, é possível dizer que as causas mais frequentes destes desastres em esteiras transportadoras são:

  • Roletes de carga e impacto bloqueados: são os problemas de manutenção mais frequentes, sendo também os principais responsáveis pela ignição de incêndios em esteiras. Isto pode ocorrer devido a má instalação de componentes, desgaste natural da peça ou falta de manutenção preditiva. O calor gerado pela força de atrito de rolamento do rolete com a esteira reduz a vida útil de ambos os componentes e facilita a combustão. Uma forma de prevenção é o monitoramento e manutenção contínua dos roletes.
  • Bloqueio de polias: ocorre quando a esteira continua se movendo, mesmo com as polias travadas. O calor gerado pelo atrito de ambos pode incendiar a borracha da esteira.
  • Eletricidade estática: durante o funcionamento de uma esteira transportadora são geradas cargas estáticas. O acúmulo dessas cargas pode criar centelhas que, por sua vez, podem levar à explosões ou ao surgimento de focos de incêndios, caso entrem em contato com materiais condutores. Entende-se que, apesar de não serem normalmente um problema, cargas estáticas podem ser um perigo se o ambiente de operação da esteira ou o material transportado tenham componentes passíveis de ignição. Isto pode ser evitado com o uso superfícies de esteira mais modernas, que utilizam químicos para reduzir o acúmulo de cargas, dificultando o surgimento de faíscas elétricas.
  • Trabalhos à quente: trabalhos à quente (como corte, solda ou esmerilhamento) são sempre um risco quando realizados próximos à esteiras transportadoras. Fagulhas irrisórias podem ter sérias consequências ao entrar em contato com a superfície da esteira ou algum de seus componentes, como já mencionado.

PREVENÇÃO

O engenheiro mecânico da Dunlop Esteiras Transportadoras, Syltze Brouwers, afirma que “O primeiro e mais importante fato a se saber é que esteiras transportadoras não podem ser totalmente à prova de fogo”. E, quando incêndios surgem, mesmo modernos sistemas de splinklers podem não dar conta de evitar estragos irreparáveis. Porém, precauções podem ser tomadas para reduzir suas ocorrências e minimizar impactos.

Diversas ações podem ser implementadas para reduzir os riscos de incêndios. As causas de incêndios em esteiras geralmente podem ser prevenidas com o uso de equipamentos, maquinário e monitoramento seguro e moderno.

Alguns exemplos práticos são: detectores de calor, protetores e sensores que evitam o patinamento de polias, monitoramento de vibração para detectar anomalias no maquinário, esteiras compostas por produtos químicos que evitam o acúmulo de carga estática e apresentam uma maior resistência ao fogo. Além disso, é importante incorporar a manutenção preventiva e preditiva à dinâmica de trabalho, implantar gerenciamento de riscos e padrões de segurança eficazes.

O fato é que não há uma única solução para todos os casos, mas sim uma série de ações a serem implementadas em cada um deles, envolvendo técnicas de manutenção preventiva e preditiva. Uma tecnologia a considerar é o monitoramento de temperatura e vibração em diversos pontos da esteira.

CUSTO DA SEGURANÇA
Os riscos de incêndio e a exposição de trabalhadores ao ambiente de risco incitam a busca por soluções que minimizem os incidentes com paradas da esteira e que aumentem a segurança do operador e manutentor.

O custo de uma solução de monitoramento continuo, ainda que aplicada à esteiras transportadoras com quilômetros de extensão pode ser uma solução a considerar devido baixo custo e benefícios gerados. A solução DynaPredict permite captar os parâmetros de temperatura e aceleração e realizar a análise espectral à distância. Assim, além de evitar a exposição do manutentor, a intervenção necessária poderá ser feita proativamente, aumentando a confiabilidade e disponibilidade da estrutura.

Cada estrutura tem suas particularidades — localização, minério extraído, tecnologia implantada — que requerem propostas modulares. O fato é que as implicações de segurança, financeiras e legais de incêndios em esteiras transportadoras são aspectos que devem sempre pesar no processo de decisão do bom gestor e técnico.

As informações e opiniões veiculadas nesse artigo são de responsabilidade exclusiva do autor e não representam a opinião do Grupo CIMM.

Clara Rejane Scholles

Perfil do autor

Diretora Comercial - Dynamox Soluções Criativas


Comentários ()