09/01/2018

A sincronicidade do mundo acadêmico e a indústria

Case de Sucesso da Invenção do Instrumento de Tração para Medir as Propriedades físico-mecânicas de Materiais Têxteis Laminados

RESUMO

O artigo tem como objetivo pontuar a importância do estreitamento da relação entre academia e as indústrias em prol do crescimento no que tange eficiência e eficácia de ambas, através do intercâmbio de conhecimento em busca de soluções e contenção de falhas inerentes aos processos manufatureiros e a sinergia da sala de aula com o mundo real. Neste sentido, será demonstrada a invenção do Instrumento de Tração que pontua a relevância indispensável da verificação da conformidade dos materiais têxteis laminados, os quais são empregados no nicho automobilístico, em virtude de identificar o comportamento elástico do material submetido a um esforço de tração, conferindo-lhe a estabilidade dimensional do produto.  

MUNDO ACADÊMICO X INDÚSTRIA 

O nível de competitividade no mercado de trabalho de hoje, exige profissionais cada vez mais qualificados, que sejam capazes de contribuir ativamente para a melhoria de produtividade organizacional e que possuem conhecimento para gerar soluções inovadoras, entretanto, as academias de modo geral precisam fundir as aplicações em sala de aula com o mercado de trabalho e formar alianças com as empresas, no intuito de preparar o aluno para assumir posições e apresentar resultados em curto prazo nos setores empresariais. Faz-se necessário aproximar as atividades acadêmicas das necessidades das organizações, sejam elas públicas ou privadas, aumentando a competitividade dos empreendimentos através do conhecimento técnico-científico estabelecido nas instituições de ensino, colocando esse ambiente acadêmico favorável ao surgimento de novas ideias, a serviço do mercado e do mundo.

Portanto, este projeto evidência o quanto o SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) interage com as indústrias em todas as esferas do conhecimento e principalmente no que se refere às boas práticas de fabricação, qualidade, integridade, confiabilidade nos processos manufatureiros, fortalecendo a macroeconomia, responsabilidade socioambiental e socioeconômico. 

Conforme Barros (2010), para que uma empresa possa se estabelecer no mercado atual, e se destacar perante os concorrentes, é necessário que ela ofereça produtos e serviços que atendam às necessidades dos seus clientes. O mundo competitivo e globalizado no qual vivemos, acabou demonstrando consigo ideais de satisfação dos consumidores diferentes daqueles que existiam no passado. Isso surgiu devido, principalmente, a dois fatores de mudanças: O primeiro de ordem econômica, e o segundo, de ordem tecnológica. O primeiro fator contribuiu na criação de novas exigências competitivas, pois no mercado atual, os consumidores são muito mais exigentes no processo de compra de um produto, não só no que diz respeito à qualidade e ao preço do mesmo, mas também, com relação ao prazo de entrega e às inovações tecnológicas incorporadas a ele. Já o segundo fator de mudança de ordem tecnológica, diz respeito às inovações constantes de maquinários, insumos, ferramentas de trabalho, sistemas de informação. Os avanços tecnológicos ocorrem com tamanha rapidez, à empresa que não consegue acompanhar e se adaptar a eles, termina desta forma, perdendo espaço no mercado competitivo. 

Entretanto, a qualidade incorporada ao produto ou serviço não é mais o diferencial de mercado, pois os fornecedores do primeiro, segundo e terceiro setor deverão obrigatoriamente disponibilizar os seus recursos com a devida confiabilidade e funcionalidade de uso e aplicação. Outrossim, para os clientes de hoje, somente o item fornecido não é mais importante, e sim, um pacote de serviço ofertado inerente a aquisição, como por exemplo: Preço, atendimento, forma de pagamento, garantia tradicional e estendida, prazo, seguro, canal de comunicação full time, assistência técnica na região e no país de origem, embalagem, logística, processo customizado e integrado, comodidade e pós-venda. 

Nesse sentido, a presente ideia inovadora fundamenta a um instrumento de tração para medição do comportamento elástico dos insumos. Visa controlar sistematicamente a qualidade dos materiais empregados no revestimento interno de veículos automotivos e assentos dos mesmos, cuja matéria-prima é têxtil laminado, como também este ensaio se estende aos materiais plásticos (poliméricos), os quais são de característica dúctil. O uso do referido instrumento de tração para ensaios metrológicos, tem como objetivo reduzir ou eliminar os impactos negativos das não conformidades apresentadas nas matérias-primas fabricadas e fornecidas pelas indústrias de transformação têxteis no Brasil e em outros países. Ficou notória a satisfação do cliente (representante legal da indústria de estofados dos assentos) por conta da simplicidade e facilidade de operação do instrumento, atendendo plenamente os critérios normativos e os requisitos necessários frente à execução dos ensaios.

A incorporação dessa avaliação nos processos industriais manufatureiros, fabricante de estofados dos bancos dos automóveis, resultou em padronização conforme a norma SAE J855- Elasticidade de material têxtil laminado e plásticos, bem como, atendendo os requisitos da norma ABNT NBR ISO 9001- Sistema de Gestão da Qualidade e aos padrões preestabelecidos pelo consumidor interno e externo dos produtos, que atua fortemente no estado da Bahia, mais também em outras regiões do país. 

CONCLUSÕES ESPERADAS
Por tanto, o estudo e execução do protótipo de tração e a aplicação prática do mesmo, contribuiu na identificação do comportamento do material inerente as propriedades mecânicas de alongamento e retração, os resultados apresentaram relevância decisiva para aceitação ou não dos insumos fornecidos em relação ao padrão de qualidade preestabelecido pela empresa compradora do referido material. 

Gráfico 1 — Análise de Desempenho no processo de qualidade

Fonte: Análise em percentual dos indicadores de não
conformidade. Própria autoria, 2017.

Pois, o foco no desenvolvimento consiste em uma tecnologia de tração para medir o material têxtil estratificado, numa alternativa simplificada na qual contribui para o controle de qualidade em tecidos técnicos incorporados em veículos, e, difundir a metodologia e o instrumento para o desenvolvimento nacional e ou global com baixo custo e resultado relevante ao monitoramento. Desta forma, o fornecedor de matéria-prima passou a empregar mais esforços analíticos na seleção e qualidade do material para suprimento de seus clientes, evitando transtornos e diminuindo os custos logísticos de ambos em função dos retrabalhos. Este projeto singular, busca informar a influência assertiva do setor acadêmico e as boas práticas no controle de qualidade que levam as empresas as posições competitivas e diferenciadas na cadeia de valor, tornando-a mais sólida e capaz de se manter no mercado local e global.

ACESSE O ARTIGO COMPLETO CLICANDO AQUI

As informações e opiniões veiculadas nesse artigo são de responsabilidade exclusiva do autor e não representam a opinião do Grupo CIMM.

Antonio Carlos Barbosa Bacelar

Perfil do autor

Graduado em Administração de Empresas no Centro Universitário Estácio da Bahia; Graduação em Engenharia de Produção com Ênfase em Gestão Empresarial pela Faculdade de Ciências e Tecnologia Área I, Salvador/BA (incompleta); Especialista em Têxtil pelo SENAI CETIQT/Rio de Janeiro, e, formação Técnica em Arquitetura. Atuando há mais de 20 anos em Processos Industriais Têxteis, Vestuário e Metrologia. Como também contribuindo na Inovação; Produção Técnica e Científica no Âmbito da Pesquisa Aplicada; Patentes registradas; Professor na SENAI DR BA no segmento Têxtil e Vestuário; Gestão e Logística; Projetista Arquitetônico; Supervisor de Produção e Processo Industrial com larga experiência em chão de fábrica e projeto de edificação. E-mail: antoniobtex@hotmail.com; Site: http://a2iclick.wixsite.com/2iclick


Comentários