Medium_3e2436b
  |   29/06/2017   |   Projeto Descomplicado

Bibliotecas de CAD – Itens comerciais – Parte 2

Senhores,

No século XX passamos a viver com os métodos de horizontalização dos processos produtivos e a administração de cadeias de fornecedores.

Se no começo do século XX era comum uma fabricante de automóveis fabricar todos os componentes, no final dele, as empresas haviam se transformado em montadoras, onde os componentes muitas vezes eram desenvolvidos por diversas empresas espalhadas pelo mundo.

Quando o processo era totalmente vertical, muitas empresas eram obrigadas a desenvolver internamente os seus componentes, daí surgem fatos curiosos como a Fordlandia. Para quem não sabe do que se trata, vale a pena conferir o vídeo abaixo.

Horizontalização

Esse método produtivo passou a ser utilizado como um fator de mudança decisivo para otimizar a produção industrial.

Onde uma fabricante de máquinas, por exemplo, não precisaria desenvolver os seus próprios componentes eletrônicos, mas sim utilizá-los de forma coerente no seu sistema de produção, conforme um existente no mercado.

Abaixo poderemos utilizar um exemplo de máquina onde um determinado fabricante tem uma série de componentes, estes geralmente padronizados:

•    Componentes de fixação
•    Sistemas de atuação eletromecânicos
•    Sistemas pneumáticos

Normalmente, uma empresa de máquinas necessita inserir estes componentes no projeto 3D por uma série de motivos como:

•    Definir sistemas de montagem;
•    Realizar contabilidade dos itens em listas de materiais;
•    Utilizar como base em documentações de projetos; e
•    Outros

Com isso, montar a base de arquivos de outras pessoas necessita de uma série de requisitos, mas eles necessitam estar acessíveis.

Início da biblioteca

O início da biblioteca de componentes comerciais pode ter origem quatro meios:
•    Recursos do próprio CAD utilizado no projeto, através de bibliotecas disponíveis na instalação dos mesmos;
•    Obtenção de componentes em sites com repositórios de componentes, como o Grabcad e o 3Dcontentcentral;
•    Contatar os fabricantes para solicitação do arquivo 3D;
•    Desenvolvimento esquemático dos arquivos internamente na empresa.

Acredito que inclusive ao necessitarmos um determinado componente padronizado não existente na base de dados, a ordem de procura dos mesmos seguirá a lista acima.

Administração

Como os componentes comerciais não costumam ser atualizados com uma frequência grande, o principal na administração dos mesmos seguirá os seguintes conceitos:

•    Administração da estrutura de pastas de forma adequada;
•    Cadastro de dados descritivos para pesquisas estruturadas e obtenção de listas de materiais.

Entretanto, o maior desafio é evitar erros de acesso aos arquivos por parte da equipe de projeto de forma simultânea, mas também prevenir que os usuários façam alterações não pertinentes aos documentos.

Sds,
Kastner

As informações e opiniões veiculadas nesse artigo são de responsabilidade exclusiva do autor e não representam a opinião do Grupo CIMM.
3e2436b

Guilherme Alfredo Kastner

Técnico de aplicações da SKA Automação de Engenharias desde setembro de 2004. Trabalhou com diversas Soluções Autodesk, SolidWorks. Nos últimos anos o trabalho tem sido focado na melhoria da comunicação das engenharias com os seus clientes dentro das corporações como a fábrica, administrativo e outros setores.


Mais artigos de Guilherme Alfredo Kastner

Últimas perguntas no fórum

Tire suas dúvidas com a comunidade CIMM

Comentários ()