Tercek desenvolve elevador automotivo para transporte público

Produto levou três anos da concepção e testes à chegada ao mercado

O investimento em um produto próprio era uma meta para Aurélio Dal Zotto Boff, diretor da Tercek Usinagem, desde o início da empresa. Em outubro ele comemora o lançamento do elevador automotivo Líbero, projetado para tornar-se referência em acessibilidade no transporte público urbano. A ideia foi inspirada no o Decreto no. 5.296, de 2004, que garante acessibilidade e respeito aos portadores de deficiência ou com mobilidade reduzida, por exemplo, gestantes, idosos, obesos e não só cadeirantes. A medida também exige que 100% da frota nacional deverá estar acessível em 2014.

A ideia para criação de um produto próprio teve início em 2008, a partir de um projeto desenvolvido em conjunto com clientes, de  um bloqueador de portas, dispositivo que impede o movimento do ônibus enquanto as portas do veículo estão abertas. Depois de três anos de desenvolvimento em parceria com a ITEC - Incubadora Tecnológica da Universidade de Caxias do Sul (UCS) o produto já está a venda. “Tenho um carinho muito grande por este produto, começamos com desenhos na prancheta e agora ele é realidade”, orgulha-se Boff.

O primeiro protótipo do Líbero foi instalado em um cliente em 2010, isto permitiu incorporar mudanças no projeto e mostrar que ele poderia ser colocado em pratica. A  instalação do elevador é feita em menos de meia hora e não requer compartimentos, válvulas ou reservatórios extras. Diferente dos elevadores convencionais, o elevador automotivo Líbero possui sistema de acionamento elétrico totalmente automático, que possibilita baixo tempo operacional.  Pesando menos de 180 Kg, o Líbero é o elevador automotivo mais leve já fabricado no Brasil. Seu baixo peso estrutural contribui com a otimização do consumo de combustíveis, pneus, freios, lubrificantes e suspensão. Segundo pesquisa realizada pelo Instituto de Energia e Pesquisa Ambiental - IFEU, na Alemanha, 100Kg a menos em um ônibus urbano economiza até 2250 litros de óleo diesel, na sua vida útil.

Como estratégia de vendas a Tercek começa também a investir em São Paulo e no Rio de Janeiro. "Já temos assistência técnica em São Paulo, com bom relacionamento com empresas de transporte" afirma o diretor. O Líbero espera alavancar boas vendas, pois ainda são poucos os ônibus adaptados aos cadeirantes, São Paulo conta com 15 mil ônibus e apenas cerca de 4 mil adaptados. No município do Rio de Janeiro, dos 8,8 mil ônibus que circulam, 2 mil já estão adaptados, segundo o sindicato das empresas de ônibus. 

Gestão como diferencial
A constante atualização é uma das preocupações do empresário para atingir maior crescimento. Este ano Boff concluiu um MBA em gestão empresarial e costuma investir em outros cursos de menor duração. A gestão é algo que ele tem prazer em fazer “Levantar as necessidades dos clientes, ver o que existe no mercado, toda essa longa caminhada dá prazer.” Outras formas adotadas para acompanhar as novidades do mercado é a visitação em feiras para saber o que vale a pena trabalhar e o que já está saturado. Na empresa há um acompanhamento sistemático dos clientes e todo ano, ao fazer o planejamento estratégico, contratam uma consultoria para monitorar as demandas de nossos clientes. 

Aurélio comenta que a mão de obra qualificada é uma das principais dificuldades da empresa.
“Uma coisa que noto é a falta de conhecimentos básicos de mecânica naqueles que fizeram cursos de capacitação em CNC. Então qualquer erro que aparecer, ele não vai saber resolver”, observa o empresário.

A Tercek atua em Caxias do Sul desde 1995 e é especializada em usinagem de peças de precisão para diversos segmentos, principalmente na parte hidráulica de máquinas agrícola e máquinas de construção civil. “Hoje a concorrência é muito maior, mas o mercado também cresceu. Ainda temos muito mercado para ganhar na área de usinagem e acreditamos no crescimento do setor na região”, avalia o empresário.

Parcerias com a Universidade de Caxias do Sul (UCS) também fortaleceram o crescimento. “ A UCS criou cursos específicos para nossas demandas, abriu possibilidade fazermos testes do nosso produto nos seus laboratórios”, conta Aurélio. Também foi através da UCS que as primeiras reuniões do Associação Serrana das Indústria de Usinagem (ASIUSI) foram mediadas. Hoje a entidade, da qual a Tercek é sócia fundadora possui 11 empresas filiadas.

Tópicos:
usinagem  •  


Comentários ()