Medium_foto_linkedin
  |   05/04/2018   |   IoT - Internet das coisas

Descomplicando IoT: SaaS, PaaS, IaaS , HaaS, end-to-end. E agora?

A revolução chamada indústria 4.0 somente é possível devido a conectividade e suas várias siglas. Vamos traduzir na prática para você.

Quando Falamos de indústria 4.0, uma revolução somente possível através do emprego de tecnologia, logo vem à cabeça a palavra: conectividade. Porém quanto mais evoluímos no mundo tecnológico, milhões de siglas surgem para traduzir e colocar modelos de negócio dentro de caixinhas para organizar o mercado. Sendo assim é muito comum escutar empresas se apresentando como “Eu sou SaaS” ou “Eu sou HaaS”, mas para quem não é desse mercado a comunicação tornasse quase em outro idioma.

Nasce assim a série de artigos, “Descomplicando IoT”, que irá te guiar nessa jornada de transformação para indústria 4.0.


SaaS: Software as a Service

Software as a Service (SaaS) é um modelo de negócio onde a distribuição de um software é feita via plataforma web. É uma forma de hospedar e distribuir centralmente aplicações para os clientes via internet. Aplicações web são executadas nos servidores dos provedores SaaS. Resumindo, a grande diferença de SaaS para uma empresa de software tradicional é que a mesma funciona em plataforma web hospedada na nuvem (cloud computing), contrário do modelo antigo que havia a necessidade de realizar o download e a instalação do software.

SaaS não é necessariamente um lucrativo modelo de negócio por si só, precisa estar alinhado a uma estratégia de receita muito bem planejada, que pode ser assinatura, Up-sell, mais armazenamento, maior velocidade ou mais dados.

Um exemplo de SaaS é a SalesForce.com : Sales Force é um dos primeiros negócios de SaaS, originalmente fundado em 1999 como uma empresa de software. Eles ajudaram inúmeras empresas a gerenciar suas equipes de vendas e transformaram o mercado.

SaaS é uma das três principais categorias de Clouding Computing, seguida por Platform as a Service (PaaS) e Infrastructure as a Service (IaaS).

PaaS: Platform as a Service

Platform as a Service (PaaS) é um ambiente computacional na nuvem desenvolvido para permitir que os desenvolvedores criem aplicações e serviços para internet. O PaaS torna possível o rápido desenvolvimento de aplicações, execução e gerenciamento a partir dos componentes de infraestrutura. Sendo assim não há a complexidade de comprar, construir ou gerenciar uma infraestrutura física. O PaaS fornece aos desenvolvedores os sistemas operacionais apropriados, baco de dados, middleware e etc.

O PaaS possui diversos modelos de receita, dependendo o grau de utilização, por exemplo hospedar um website, operar um software complexo remoto entre outros, cada um possui uma faixa de custo.

Um exemplo de empresa PaaS é a Amazon Web Services (AWS) que oferece serviços de computação em nuvem desde 2006. Além de ser um PaaS também é um IaaS.

IaaS: Infrastructure as a Service

Infrastructure as a service (IaaS) é um modelo de negócio na nuvem que permite clientes alugarem um espaço em um datacenter virtual oferecido por um fornecedor de IaaS. Ao invés de comprar ou montar uma estrutura de datacenter o cliente pode alugar os recursos computacionais. Isso permite que o cliente configure e gerencie seu próprio sistema operacional e aplicações.

Um exemplo de empresa IaaS é Google Cloud Platform é uma plataforma de computação em nuvem oferecida pelo Google, onde você pode construir e hospedar aplicativos e websites, bem como armazenar e analisar dados usando a infraestrutura escalável do Google.

HaaS: Hardware as a Service

Hardware as a Service (HaaS) é uma modelo de negócio que oferece um hardware como serviço, onde os pacotes podem incluir hardware, software básico, manutenção, instalação por um preço mensal com um contrato de período determinado. A origem do HaaS veio do Software as a Service, percursor do seguimento. No modelo de HaaS você paga por serviços e não pelo produto. Sendo assim HaaS se adapta a diferentes tipos e tamanhos de mercados, assim como diferentes tipos de produtos.

HaaS é um modelo de negócio lucrativo, desde que sua estratégia de precificação esteja alinhada com os seus custos. Assim que for calculado o payback do produto, margem de lucro e etc, conseguimos definir o preço de locação e o tempo mínimo de contrato.

Um exemplo de empresa de HaaS é a useLEsense.com.br: que possui como missão democratizar a aplicação de IOT no Brasil, através do modelo de negócio de locação de equipamentos, sendo vantajoso para os clientes que não precisam imobilizar capital em compra de produtos.

Solução end-to-end (E2ES):

Uma Solução end-to-end (E2ES) é um termo que significa que a empresa desenvolvedora de software disponibiliza todos os recursos necessários para utilização plena da ferramenta incluindo o hardware, ou seja, de ponta a ponta. Inclui-se nesse pacote SaaS, PaaS, IaaS e HaaS. A empresa para possuir uma solução end-to-end deve atender plenamente todas as ferramentas sem a necessidade de outro vendedor ser envolvido no processo. O E2ES inclui instalação, integração e setup.

Um exemplo de empresa end-to-end é a B-Scada. Fundada em 2003 na Florida, fornece soluções de software e hardware para monitoramento e analise de dados em tempo real.

Você provavelmente deve estar se perguntando......

Ok! Entendi esses termos, mas o que faço com isso?

Simples, você precisa olhar para o seu processo produtivo e identificar as suas carências, por exemplo, se você precisa de uma forma de gestão mais eficiente, uma empresa de SaaS provavelmente irá te atender. Mas se já possui um Software ou ERP implantado e deseja fazer coleta de dados em tempo real precisará de uma empresa de HaaS. Agora se há necessidade de coleta de dados e gestão de informação em tempo real via plataforma web, você precisará de uma empresa com uma solução end-to-end. Provavelmente  hoje, você já usa alguma ferramenta IaaS para armazenamento de arquivos.

São muitas opções, mas a melhor pessoa para definir qual usar é você que está dentro do processo na indústria. Uma coisa é certa, existem sim, ferramentas que irão te ajudar a alcançar melhores resultados e que você ainda não conhece.

Quais desses modelos acima vocês já usam hoje? Deixe um comentário me contando mais.
As informações e opiniões veiculadas nesse artigo são de responsabilidade exclusiva do autor e não representam a opinião do Grupo CIMM.
Tópicos:
      indústria 4.0,       cloud computing,       cloud,       internet das coisas,       IoT,
Foto_linkedin

Jian Melo

O autor possui: FORMAÇÃO EM ENGENHARIA, especializado em Projetos Mecânicos, Mecatrônica Industrial e Engenharia de Produção. Com Background que reforça a rápida tomada de decisão, entendimento sobre os custos de produção e gerenciamento de projetos. DESIGN DE ESTRATÉGIA DE MARKETING, criando inteiramente a estratégia de marketing para todo o mercado Brasileiro, incluindo análise de mercado, comportamento do consumidor, competidores, agências de publicidade, parceria com bloggers e instagramers. INTERNATIONAL BUSINESS DEVELOPMENT, com foco especial na China, USA e Brasil. Incluindo players de supply chain, inovação, IoT e agência de publicidade. EXCEPCIONAL HABILIDADE EM ENTREPRENEURSHIP & TEAM WORK, com uma mentalidade de dono do negócio, construindo um novo negócio por si só e mantendo o melhor relacionamento com o time, enquanto inspira-os. Possui experiência em empresas como Eletrobras, Engevix, Intelbras, Grupo Rocket Internet. Incluem-se experiências na Europa e China. Atualmente é COO do Grupo Lógica-e detentora das marcas CIANOVE e LEsense – coleta de dados IoT.


Comentários ()