Img-natal-esquerda

Zen investe em inovação para acompanhar mudanças do setor automotivo

Novas linhas de produtos começaram em 2006 e a projeção é um faturamento baseado 32% em lançamentos

Atentos ao crescimento da aplicação de sistemas híbridos no projeto dos carros, os executivos da  fabricante de componentes automotivos Zen começaram a se preocupar com a dependência de um único produto, os impulsores de partida para motores a combustão, produzidos de sua criação, de 1960 até 2006. Com a adoção de motores elétricos, os impulsores de partida se tornam dispensáveis. A dependência de uma única linha foi colocada como desafio há algum tempo, mas apesar de iniciarem a produção de outras peças, nenhuma alcançou sucesso no mercado.  “Desenvolver uma metodologia para a inovação dentro da empresa foi uma necessidade de sobrevivência no mercado. Uma decisão que partiu da direção da empresa, aliada com a contratação de consultorias para organizar os processos de inovação, foi assim que conseguimos avançar em nossas linhas.”, comenta o vice-presidente da empresa, André Zen (foto).

A primeira patente foi requerida em 2006, depois de um ano desenvolvendo polias de roda livre como solicitação de um cliente, hoje a empresa fabrica 112 modelos diferentes de rodas livres. 
A porcentagem do faturamento proveniente de novos produtos também evoluiu significativamente e passou de 14% em 2007 para 26%. A projeção para este ano é alcançar um faturamento de US$ 156 milhões e que a participação dos novos produtos suba para 32%.
 
Em 2009 a empresa passou a ter isenções fiscais por conta dos investimentos em inovação por meio da Lei do Bem. Um sistema dentro da intranet foi criado para que os funcionários preencham com as horas dedicadas aos vários projetos dentro da empresa. Esse controle é um exigência da Receita Federal para poder auditar se a isenção fiscal recebida, está, de fato, contribuindo para a inovação dentro da empresa. Nesses três anos, a média de isenção fiscal ficou em 9% do valor investido em Pesquisa e Desenvolvimento e somou R$ 2,3 milhões. Para o próximo ano, a Zen está implantando novos sistemas de controle para aumentar a cobertura de isenção que hoje só abate o custo com funcionários. Com a sistematização de notas fiscais de institutos de pesquisa, serviços técnicos, entre outros o montante de isenção será maior. 
 
Desde que passou a adotar uma metodologia para a inovação, com a contratação de consultorias, a expansão das linhas de produto avança a cada ano. Em 2008 foram lançadas engrenagens planetárias, no ano seguinte motopeças, freios ABS e eixos tensionadores. Para o próximo ano estão programados os lançamentos de freio ABS para linha pesada, eixos de transmissão e polias OAD. A fabricação de peças em alumínio, algo sem importância na década passada também está crescendo em importância do faturamento, sendo 80% das peças produzidas nesse material feitas sob encomenda.
Tópicos:
investimentos  •   zen  •   inovacao  •   componentes  •   automotivos  •  


Comentários ()