Revenimento

Revenimento é um processo feito após o endurecimento por têmpera. Peças que sofreram têmpera tendem a ser muito quebradiças. A fragilidade é causada pela presença da martensita. A fragilidade pode ser removida pelo revenimento.

O resultado do revenimento é uma combinação desejável de dureza, ductilidade, tenacidade, resistência e estabilidade estrutural. As propriedades resultantes do revenimento dependem do aço e da temperatura do revenimento.

A martensita é uma estrutura metaestável. Quando aquecida, tende a estabilidade, ou seja, a transformar-se nas fases ferrita e cementita.

A martensita é uma estrutura tetragonal de corpo centrado (a ferrita é cúbica de corpo centrado) supersaturada de carbono (a ferrita contém carbono em até seu limite de solubilidade no ferro). Apresenta a morfologia de finas agulhas.

O aquecimento leva a difusão do carbono (em excesso na estrutura) e sua conseqüente precipitação em forma de carboneto de ferro. A saída do excesso de carbono possibilita que a estrutura tetragonal torne-se cúbica, ou seja, torne-se ferrítica.

Elevando-se a temperatura, aumenta-se a difusividade do carbono e possibilita-se a difusão do ferro (que é inexpressiva em baixas temperaturas), de forma que ficam facilitadas outras reações metalúrgicas que levem à minimização da energia acumulada nas interfaces das finas agulhas de martensita revenida e dos pequenos precipitados de carboneto.

O aumento da temperatura leva assim ao crescimento das agulhas de ferrita e a coalescência dos precipitados.

Logo tem-se que o aumento da temperatura de revenimento leva à redução da dureza e ao aumento da ductilidade. A temperatura de revenimento deve ser aquela na qual são obtidas as propriedades desejadas.

O aquecimento para revenimento é mais eficiente quando as partes são imersas em óleo, para revenimentos até 350 ºC. A partir desta temperatura o óleo contendo as partes é aquecido até a temperatura apropriada. O aquecimento em banho permite que a temperatura seja constante em toda a peça, proporcinando um revenimento uniforme.

  • Para temperaturas acima de 350 ºC é mais indicado usar um banho de sais de nitratos. Os banhos salinos podem ser aquecidos até 625 ºC.
  • Independentemente do tipo de banho, o aquecimento gradual é fundamental para evitar fissuras no aço.

Depois de alcançada a temperatura desejada, as partes são mantidas nesta temperatura por aproximadamente duas horas. São então removidas do banho e resfriadas em ar sem convecção.



Fórum

Tire suas dúvidas e ajude outras pessoas no CIMM:

Faça uma pergunta