Proteção contra Corrosão

A proteção contra a corrosão é uma consideração essencial na seleção de um aço para uma aplicação estrutural específica. A corrosão pode reduzir a capacidade de carga de um componente pela redução do seu tamanho (seção transversal) ou por ataque localizado (pitting) que além de reduzir a seção transversal na região atacada pode aumentar a tensão iniciando a formação de trincas.

Todas as medidas preventivas que impedem ou eliminam a corrosão irão aumentar a vida do componente e sua confiabilidade.

Os fatores a considerar para a seleção do método de proteção são:

  • Condições ambientais
  • Custo
  • Grau de proteção necessário
  • Conseqüências de falha imprevista em serviço

A proteção pode ser feita das seguintes formas:

  • Criação de uma barreira impermeável entre o aço e o meio corrosivo
  • Introduzindo uma substância que inibe a ação química da corrosão
  • Induzindo uma atividade galvânica que atua contra a atividade galvânica da corrosão

Tipos de Revestimentos

Existem inúmeros tipos de revestimentos, variando desde a simples lubrificação da superfície com óleo, que é uma medida protetiva de baixo custo, até a eletrodeposição de multi-camadas de cobre-níquel-cromo que dá uma aparência metálica brilhante e proteção superior aos efeitos da corrosão. O custo deve ser equilibrado com o grau de proteção desejado.

Proteção temporária: pode ser feita para efeitos de transporte e estocagem . Consiste em cobrir o aço com óleo mineral, com solventes combinados com inibidores e formadores de filme, com emulsões de revestimentos a base de petróleo ou mistura de água e ceras.
Estes revestimentos são aplicados após a limpeza em banho ácido ou entre procedimentos de aplicação de coberturas.
Nota: este procedimento é uma proteção de curto prazo

Limpeza: É o requisito mais importante do processo de revestimento. Quaisquer óxidos sobre a superfície do aço devem ser removidos por banho ácido ou por processo mecânico. A superfície deve ser desengraxada com vapor de limpeza alcalino ou emulsão limpante.

Proteção por revestimentos

Processos de cobertura através de banho quente são adequadas para a aplicação de alumínio, chumbo, estanho, zinco e suas ligas. O processo consiste em mergulhar o aço num banho de metal líquido. A cobertura com zinco , denominada galvanização, protege o aço galvanicamente porque o zinco é anódico ao metal de base e portanto é preferencialmente corroído na maioria dos ambientes.

Eletrodeposição é talvez o processo mais caro para revestimento do aço. Eletrodepósitos são utilizados quando a aparência e a soldabilidade ou outro requisito pede um revestimento metálico. Se somente é desejada a proteção à corrosão, muitos revestimentos não metálicos permitem uma proteção eficiente a custo mais baixo. Todas os eletro depósitos convencionais podem ser aplicados ao aço.

Revestimentos por spray térmico (aspersão) permitem uma proteção efetiva em um grande número de ambientes corrosivos. Eles são aplicados por vários métodos, incluindo a aspersão térmica com arame consumível, por chama auto fluxante e por arco elétrico. Os materiais mais comuns usados para o revestimento do aço são o zinco, o alumínio e as ligas zinco-alumínio.

Os revestimentos redutores ou conversores oferecem pequena proteção se não forem cobertos com outro sistema. São eficientes quando cobertos por tinta. Revestimentos fosfatados e revestimentos conversores cromatados são bastante usados como bases de pintura tanto em aços sem revestimento como em aços galvanizados.

Revestimentos orgânicos finos - tintas – são os mais usados para proteção à corrosão devido ao baixo custo para o grau de proteção conseguido. Um bom sistema de pintura inclui uma limpeza adequada, a aplicação de uma base e uma camada externa de acabamento. A aplicação dos vários revestimentos pode ser feita com pistola , banho, ou deposição eletroforética.

Inibidores

Inibidor é uma substância química ou combinação de substâncias, que previne ou reduz a corrosão, sem reação significativa com os componentes do ambiente.

Inibidores são usados principalmente em soluções de banho ácidos, ambientes de serviço ácidos, sistemas de vapor e soluções aquosas neutras e quase-neutras.

Os inibidores podem ser compostos orgânicos ou inorgânicos e são usualmente dissolvidos em meio aquoso. Eles têm sido empregados como aditivos em banhos de tratamentos de conversão e em bases de pintura. Alguns inibidores gasosos são usados em atmosferas confinadas.



Fórum

Tire suas dúvidas e ajude outras pessoas no CIMM:

Faça uma pergunta